sexta-feira, 3 de abril de 2009

O que eu ganho com isso?



















Recebi um e-mail de uma revista feminina com um convite: "Seja você também uma mulher Nova". Assim como todas minhas amigas, suas amigas e grande parte da mulherada por aí, eu leio essa revista, sim. Mas é só de vez em quando. "De vez em quando" pode, né?

Ah! Peraí, antes tenho que dizer que fiquei com uma pergunta na cabeça: o que eu ganho com isso? Como minha vida vai mudar quando eu for uma "Mulher Nova"? Mas o fato é que fui lá no site e, numa rápida olhada nos assuntos, saquei que um dos critérios para ser uma "Mulher Nova" é gostar de sexo. Bingo! Tenho chances, muitas chances: adoro o esporte. Dois ou três cliques depois, entendi que não é só gostar, tem que praticar muito sexo. E tem que ser sexo animal, se não, não vale.


Numa outra seção, vi que é preciso também ter cabelo no estilo lindo-de-morrer-e-matar-todas-as-outras-de-inveja. Perdi vários pontos neste quesito. E nos próximos também: é preciso malhar o bumbum, ter barriga chapada, ser expert na paquera... Cansativo isso, hein? Mas deve valer a pena, pois, segundo a revista, depois que eu virar essa mulher Nova, vai ter um monte de homem babando por mim e vou encontrar meu grande amor rapidinho.


Aí me lembrei que meu coração já anda cheio de gracinhas pra cima de um carinha aí. Será que sendo uma "Mulher Nova" vou conquistá-lo de vez? Continuei navegando quando dei de cara com uma coluna chamada "Orgasmo Já". Entendeu? É obrigatório gozar, hein? Se você já estava aí toda animadinha se considerando uma "Mulher Nova" só porque transa várias vezes por semana, tem peitão, um bronzeado lindo, calma aí! Não é bem assim... você tem que gozar em todas as vezes também. Pronto, decidi: não vou me candidatar a ser uma "Mulher Nova", afinal além de ter poucas chances, não quero todos os homens do mundo babando por mim, não quero ninguém de olho grande no meu cabelo, minha bunda nunca freqüentou e nem vai freqüentar academia e... bem, de sexo eu gosto, mas não vou fazer aqueles exercícios de pompoarismo que ensinaram na edição do mês passado. Ah,não vou mesmo!


Resignada por saber que nunca serei uma "Mulher Nova", fui ler outras revistas on line. Toda vez que meu chefe viaja eu faço isso, sabe? Tiro umas horas pra ficar só de bobeira aqui no trabalho. Sou uma uma mulher tão comum, concordo.


Uma delas me fez ter um acesso de riso por causa de uma matéria com abdominais de 5 formas diferentes. Tem até um que é feito em pé. Mais risos. Eu não faço abdominal, eu faço lipo, darling. Torturante aquele lance de ficar lá se contorcendo. Parei de rir quando li uma matéria com o nome "O que você faz para manter-se em forma?". Po! Eu ralo muito na esteira e passo muita fome pra tentar manter meu peso. Me deu uma raiva ver aquela mulherada lá dizendo "não faço nada demais, só um pouco de Yoga "; "faço sppining mas como arroz com feijão todo dia "; "não consigo abrir mão do meu chocolate, por isso compenso nos aeróbios". Mentira! Tudo mentira! Po, sacanagem elas falarem isso. Vai que os caras resolvem acreditar: vão me chamar de preguiçosa porque eu estou eternamente em dieta e nem por isso "tô podendo".


Quer saber? Não quero ficar saradona e nem ser uma "Mulher Nova"! Eu vou é continuar com minha vidinha aqui porque ando muito feliz assim. Do fundo do coração, espero que meu gatinho não se incomode em ir pra cama com uma mulher comum porque eu é que não vou parar todas as minhas atividades diárias pra me dedicar exclusivamente ao estudo do Kama Sutra, ficar horas sob o sol... pô! Eu teria de decorar tanta coisa que acabaria ficando bem diferente do que eu sou. E pela Lei de Murphy, é bem capaz de ele (do meu gatinho) gostar de mim do jeito que eu sou. Já pensou? Tanto esforço pra nada.


Então, depois de abominar todas as dicas dessas revistas, só me resta pedir a Deus pra não passar por mentirosa quando um dia você me encontrar malhando feito louca pra ter uma barriguinha menor. Porque eu posso não ser uma "Mulher Nova", mas sou mulher, né? E trago em mim todas as contradições do Universo.