quarta-feira, 19 de maio de 2010

EU NÃO SOU UM ET. OU SOU?



Sábado passado um amigo me perguntou como era possível eu, que sou "gente boa, bonita e super interessante" (palavras dele, hein? palavras dele) estar "encalhada". "Encalhada é o cacete!", foi o que, sutilmente, respondi.

Alguns minutos de risada depois, começamos a falar sobre isso. Ele insistia na frase "como uma mulher bonita assim tá aqui sozinha, de bobeira, sábado à noite?" Sozinha? De bobeira? Mas eu não estava com um amigo, batendo um papo cabeça, sob céu de Copacabana, vendo a obra de um artista plástico? Pelas minhas definições isso é uma coisa legal. Mas ele queria mesmo era saber sobre minha vida amorosa. Falei que não sou nenhuma Sheila Carvalho, mas tenho lá meu fã clube. Mas que isso não quer dizer absolutamente nada. Bem, deixando a hipocrisia bem longe deste blog aqui, claro que ser bonitinha, gostosinha e ter um bom papo conta ponto, mas não é a questão central.

-E qual é a questão central?
-É que o cara tem de me interessar também, oras! Acho que o básico para um relacionamento é o interesse mútuo e se o cara não me interessar, dificilmente rola um 2o encontro.

Aí ele veio com aquele papo de que sou muito exigente, que deveria dar uma segunda chance caso conheça alguém e não me interesse de cara e tal. E então falei "Pô! Mas eu não tô desesperada por um namorado!

Foi complicado explicar que pra eu estar com alguém, tenho de gostar dele. Pra mim não serve qualquer um.

Ele ficou me olhando e disse : acho que qualquer hora um disco voador vem te buscar. Você é um ET!

Diante da minha cara de espanto, explicou: Toda mulher que eu conheço, inclua aí minha irmã e minha ex, quer a todo custo ter um namorado firme. Minhas amigas da faculdade, do trabalho, as amigas da minha irmã, todas, sem exceção, reclamam que tá difícil arrumar namorado. E pelas figuras que elas arrumam, serve, sim, qualquer um.

Bem, se sou um ET, não sei. E se for, que bom que não me levaram de volta pro meu planeta de origem (é que por aqui tem uns terráqueos que fazem meu tipo, sabe?). Mas vou continuar achando que namorar alguém só por namorar é, no mínimo, uma grande sacanagem. É mexer com os sentimentos da outra pessoa. Sem contar que relacionamentos são muito legais, mas também é preciso abrir mão de algumas coisas. E abrir mão do que a gente gosta por alguém que a gente gosta já é um tanto sacrificante. Imagine sendo por alguém de quem a gente não goste tanto assim?

-Então quer dizer que você não se liga a qualquer carinha?
- Não.
- Mas e quando você me liga dizendo que tá mal, que tava apaixonada e o cara sumiu?
- É diferente.
- Doida.
Tive de explicar que, em geral, meu sofrimento dura 15 minutos, às vezes mais e na maioria das vezes menos. E o que eu gosto mesmo é falar pra um amigo que estou péssima e então ouvi-lo dizer que sou linda, inteligente e que o fulaninho é que é um besta. Adoro quando meus amigos me consolam assim. É uma puta de uma loucura, reconheço. Mas louca mesmo é a mulher que conhece o cara e 1 mês depois deixa de falar "eu" para falar "nós".
Já reparou como tem mulher que se muda pra vida do cara e esquece quem ela era antes? Pra mim isso é coisa de outro mundo.