quinta-feira, 28 de maio de 2009

SOBRE RECADINHOS E OUTRAS COISAS TAMBÉM

Estou super em falta com algumas pessoas que comentam aqui no blog. Por mim, eu responderia na hora, mas nem sempre dá tempo. E também porque às vezes eu queria falar tanto, que não teria espaço.
Um "problema" eu tenho como resolver: espaço eu tenho o do blog. O tempo é que é mais complicado. Já falei que nem sempre meu chefe faz o favor de viajar? Pois é, ele insiste em trabalhar o dia todo, todos os dias... nada a ver,né? E quando chego em casa, até ligo o laptop, mas tem hora que dá preguiça de pensar.
Ju e Lisa, concordo que ser Princesa deve ser um saco. Viram Shrek Terceiro? Sem contar que levo muito a sério aquela frase GOOD GIRLS GO TO HEAVEN, BAD GIRLS GO TO EVERYWHERE. E foda-se,né? Menina,de Princesa eu não tenho nada. Oba!
Ah! E não precisam se desculpar por rir de uma louca que levantou da cama mais de meia-noite pra escrever sobre uma doideira que aconteceu há dias. Pode rir à vontade. Eu também tenho muito medo de cair nessa neurose de tentar ser normal. Porque eu sei que isso leva a um tipo de loucura pouco confiável, pouco produtiva.
Ju, exerço meu lado "ovelha negra" fazendo tratamento pra depressão. Contraditório,né? Mas é que isso assusta as pessoas. A galera sempre arregala os olhos quando falo na maior naturalidade"Tem água aí? É pra tomar meu antidepressivo, já tava esquecendo...". Acho engraçada a reação de quem ouve porque geralmente as pessoas têm vergonha de falar sobre essas "fraquezas". Existe muito preconceito e pouca informação sobre depressão. Tem gente que acha que é uma simples tristeza. Não é, é muito mais. Tem outros que pensam que é frescura. Po! Quem dera...
Mas preconceito e falta de informação sempre vai existir, não é Dudu? Você não comenta mas sei que tem acompanhado o blog. Eu ainda tô de mal com você, mesmo assim dou risada das coisas bobas que você fala.
Ontem eu ia fazer a receita da sopa que a Lisa mandou, mas esqueci de uma coisa básica: comprar os ingredientes. São as agruras de morar sozinha: ou você faz ou você faz. Não tem ninguém pra fazer por você. Em compensação, só assisto ao canal que eu quero, ando pelada pela casa e mudo a decoração quando bem entender.
A Andrea também me mandou uma receita que me fez engordar 500 gramas só de olhar. Dane-se: vou fazer no final de semana.
Tô com saudade da Mônica, que tá viajando e não tem comentado nada por aqui. Sabe uma outra coisa que me deu vontade de anunciar aqui? Que eu adoro o blog da Marília? Não! isso todo mundo sabe... Que tenho um monte de novidade pra contar pra outra Aline? Tenho mesmo. Mas não era isso. Que a Bela é uma fofa e quando eu for à Brasília, a gente vai sair juntas? É verdade, mas não era isso...
Eu queria, de verdade, que todo mundo que lê o blog, mesmo de vez em quando, desse um "oi" pra mim. É que eu vejo o contador de visitas lá aumentando e fico numa curiosidade danada. Sei que tem minha amiga amada, a Sabrina, mas ela nunca deixou um recadinho sequer...
Olha, não precisa elogiar nenhum post, não. É só falar "oi, Aline, sua carente de carteirinha, de vez em quando eu venho por aqui". Simples, não? Pensa que vai ser uma boa ação: você vai fazer uma blogueira carente e curiosa feliz.

Beijo pra todos, anônimos ou não.