terça-feira, 17 de março de 2009

Da série: Futebol também é coisa de mulher

Hoje, 17 de Março é o aniversário de 50 de um dos maiores jogadores que vi jogar: Leandro, do Mengão.

O cara foi o maior lateral-direito da história do clube e um símbolo de amor ao Flamengo: mega habilidoso, defendia e atacava de forma mágica.

Fez parte da Geração de Ouro do meu Mengão e, detalhe que me faz admirá-lo ainda mais: SÓ jogou pelo Flamengo. Defendeu o time por 14 anos e nunca, nunca aceitou vestir outra camisa que não fosse o Manto-Sagrado.

É daqueles jogadores que foram da arquibancada para a linha.

E a história do cara é tão ligada à do Mengo que ele se firmou no time titular exatamente no ano de 81, o ano mágico para qualquer torcedor do Mais Querido do Brasil: ano das conquistas da Taça Libertadores da América e do Mundial Interclubes. Foi também presença marcante no tricampeonato brasileiro de 1982, 1983 e 1987.

Por causa da formação arqueada de suas pernas, sofreu muitas lesões e ainda bem jovem, aos 24 anos foi vítima de artrose forte. Em 87 mudou de posição: saiu da lateral para virar zagueiro (posição que exige correr menos). Talento puro na zaga.

Ah! Até nisso o cara foi craque: abriu caminho para um novo ídolo na lateral : Jorginho.
Salve, Leandro!


Essa foto é de um álbum de figurinha do Campeonato Brasileiro (1990) que eu colecionava.