domingo, 29 de março de 2009

TEM COISA QUE EXISTE SÓ PRA SACANEAR

To tentando colocar em prática aquela história de não colocar minha felicidade nas mãos de ninguém. Espero conseguir, porque é a atitude mais sensata e também o melhor jeito de se viver em paz.
Quero também acabar com aquela palhaçada de fantasiar, de fazer planos e saber que um beijo quente não tem absolutamente nada a ver com afeto.
Não vou bancar a "analisada" e resolvida dizendo que posso muito bem viver sem alguém do meu lado porque eu sou feliz comigo mesmo. Mas vou fazer um esforço bem grande pra parar com essa mania de fantasiar. Não quero endurecer meu coração e nem fazer como algumas mulheres que dizem que aprenderam a viver o momento, aproveitar o momento do prazer e depois "see you, baby". Não acredito nesse discurso. Pra mim, é tudo mentira: elas até se divertem um pouquinho mas tomam remédio pra dormir só pra não terem de pensar se aquilo as está fazendo feliz. São umas mentirosas descaradas que mentem para elas mesmas enquanto contam suas façanhas sexuais para as amigas. Mas eu pretendo nunca mais encher os ouvidos de minhas amigas com dores de cotovelo.
Não minto dizendo que posso ser feliz sem alguém ao meu lado. Todo mundo quer isso desde que o mundo é mundo. Só que quero continuar aprendendo a ser feliz sozinha para então abrir as portas para o outro. E então sermos felizes juntos.
Se você perceber que estou sentada na janela esperando por ele (qualquer um), te dou autorização para enumerar os vários tombos que levei. Você está autorizado a me dar até uns tapas e falar toda a verdade: o quanto aquele ali não presta atenção em mim, o quanto o outro de lá é frio e evasivo. Também fique à vontade para me lembrar há quanto tempo aquele cretino não me convida para ir ao barzinho da moda e nem mesmo uma água de coco: os convites são sempre para irmos pra cama. Fale sem anestesia, por favor, levando em conta nossa intimidade, que ele nunca cogitou um passeio na praia ou na Lagoa, à tarde, de mãos dadas. Muitíssimo pelo contrário: programas entre mim e ele são sempre à noite. Na minha ou na casa dele. Me diga a verdade. Mas, por favor, leve em consideração que o coração não ouve conselho algum, ok?
Também farei minha parte lembrando sempre que até agora ninguém me preencheu o vazio eterno da minha alma, aquele que me faz achar que sempre falta alguma coisa mesmo quando tudo está tão direitinho na minha vida.
Sim, eu tenho um vazio imenso em mim. Um vazio que ja me intrigou muito: não entendia porque mesmo tendo tudo pra ser feliz, eu sentia que faltava algo.Durante muito tempo isso me aborreceu, me deprimiu, fodeu minha cabeça.
Vou lembrar 3 vezes ao dia que quando fiz 30 anos decidi que ou eu me aceitava do jeito que era ou seria uma daquelas amargas, que não têm esperança e que acabam ficando com a aura cinza. Deus me livre ter a aura cinza!
Resolvi que ia me aceitar do jeitinho esquisitinho e único que eu era desde sempre. E entendi que tem coisas que existem só pra sacanear a gente. Esse meu vazio é uma dessas coisas. O propósito dele não é ser preenchido, nem por carreira brilhante, nem por filhos lindos de bochechas rosadas e nem por um grande amor. O vazio existe só pra me sacanear, e o destino dele é ser vazio.
O meu vazio vai sempre existir e, por mais que meu lado pisciniano insista em acreditar que qualquer hora vou ser amada do jeito que todos querem ser, vou é dar atenção ao meu lado capricorniano, pois ele sabe perfeitamente que não vai ser um namoradinho que vai me dar aquilo que sempre me faltou.
Sei que um ou outro pode me fazer feliz com uma coisinha boba ou com várias coisas bobas. Mas não será ele e nem ninguém que vai preencher o vazio que mora aqui no meu peito ou na minha alma, sei lá.
Então é isso, vou parar já com fantasias sobre o dia que serei feliz por completo, afinal, pra falar a verdade, nem acredito que alguém possa ser feliz por completo. Imagine eu, que tenho um vazio que adora gritar bem alto que nasceu comigo e só me livrarei dele quando morrer.
Ah, claro, equanto isso, vou vivendo um dia de cada vez e descobrindo felicidades por aí...