domingo, 21 de fevereiro de 2010

Por quê?


Por que a gente esquece tão rápido um elogio e fica dias se consumindo por uma crítica?

Em menos de 1 semana, ouvi de 2 amigos que estou com o corpo bonito. Bem, não foram exatamente essas as palavras. Sabe como é... homem não costuma usar eufemismos,né? O que ele falaram foi mais ou menos "você está gostosa pra caramba, Aline!"Agradeci mas mandei-o tirar o olho. Do decote, principalmente.

Aí, uma outra espécie do sexo masculino mandou na lata: te acheio meio fofinha.

Porra! Se fosse um elogio ele terminaria a frase,né? "tô te achando meio fofinha mas ainda tá boa". E vamos combinar que há palavras que JAMAIS podem ser atribuídas a uma mulher.

Na hora fiquei pau da vida. Minha vontade era ir pra casa me afundar no edredom pra ninguém nunca mais me ver, gorda que sou.
Mas peraí? Eu não sou gorda!


Mesmo assim, fiquei puta da vida. Mas putidão não move o mundo e nem me faria mais feliz.
Então, fui fazer o que ja´estava na programação : corridinha. 5 km, só pra ajudar a perna a ficar mais durinha, pra dar uma suada boa, receber muita endorfina na mente. E evitar um assassinato.
E quer saber? Não sou magra mesmo,não. Também não vou dar uma de ''analisada'' aqui e dizer que sou feliz com meu corpo, mas sou bonita, sim. Acima de tudo, sou gente boa pra caramba e inteligente. E isso é bem mais lisonjeador do que ser só gostosa.
Entre ser mulher-melancia, mulher-jaca ou outras bizarrices do gênero, me contento em ser Mulher. Sacou?
O quê? Hoje em dia tem de ser "mulher-alguma-coisa"?, ok, sou Mulher-Edredon: macia, quentinha e irresistível.