quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Identidade / AG

Eu sou aquela que vira o jogo a meu favor.
A que sobrevive sempre.
Sou aquela que enxerga além do que se vê.
Sou simples e complexa, exótica até o último fio de cabelo.
Eu sou aquela que muitas gostariam de ser e muitos sonham ter.
Mas sou única, não tenho dono, amarras ou limites.
Sou sem freio e sem nexo.
Eu sou a estranheza que assusta e fascina.
Eu sou aquela que sobrevive sempre.