domingo, 11 de abril de 2010

FIOS CURTOS, LONGOS ELOGIOS

Encontrei o texto abaixo no blog Rascunhando e ele diz praticamente tudo o que ouço nos últimos 5 anos, desde que adotei os cabelos curtinhos.
Sempre tive cabelos cheios e bem tratados. O sonho da maioria das mulheres, mas cabelão não faz meu tipo, não combina comigo. Quando cortei (e foi um curto radical, saca "Elis Regina"? Sem franjinha nem nada?) ouvi de muitas pessoas "nossa, você ficou linda", "olha, geralmente não gosto de mulher de cabelo curto, mas em você ficou ótimo", "cabelo curto é pra quem pode, né? E você pode, tem tudo a ver com você" e por aí vai.
Modéstia às favas, é preciso, sim, de um rosto bonito e, claro, estilo para não precisar de lindos fios longos para ficar bonita.

“Gosto de mulheres que ousam cortar os cabelos e usá-los curtíssimos. Não é por causa da nuca à mostra ou do colo insinuante. Quer dizer, isso conta sim, mas apenas as mulheres realmente belas podem cortar seus cabelos. Aquelas que insistem em nunca diminuir os longos fios na verdade utilizam as mechas para emoldurar uma beleza falsa em torno do rosto, criando nuances para uma delicadeza que talvez nunca tenha existido, camuflando orelhas de abano e expressões grotescas. Longos cabelos podem deleitar certos hom
ens, denotar uma feminilidade óbvia, criar entrelaçamentos entre dedos e aroma de xampu, mas apenas as damas que se atrevem a eliminar todo aquele nylon podem ser denominadas honestamente formosas, genuinamente dignas de exibir seus rostos nus e sua feição pura. Adoro mulheres que, em algum momento da vida ousam tosar os cabelos. Estas sim são belas de verdade.”
- Autor desconhecido -