domingo, 8 de fevereiro de 2015

Parei de fingir e espero que não me julguem

Uma amiga vai se casar. Outra amiga vai se separar porque se apaixonou por outro. Uma terceira se casou de novo. E eu, que vivo jurando nunca mais me casar, quero conhecer o amor.

Se toda panela tem uma tampa, cadê a minha? Eu quero um amor de presente, Destino. Eu quero ser amada de verdade, Santo Antônio. Eu quero que o mito da "mulher moderna" vá se foder!
Meu pé cansado tá cansado de se enfiar num chinelo que não é o meu número. Nunca desejei essas breguices, mas ando tão contraditória que uma paixãozinha tinha tudo a ver na minha vida agora. Mas quero paixão que vire amor e que seja pra sempre.

Pronto, falei: eu quero um amor pra sempre. Chega da frieza de dizer que isso não existe. Se rola tanta esquisitice no mundo, deve haver amor que não acabe também, que nem nos filmes.

E já que tô ficando cafona, vai ser por completo: quero um amor pra ver filme juntinho, pra me chamar de "Mô" e me levar pra casa da mãe no domingo. Vamos almoçar macarronada com frango com um monte de sobrinho e cunhada.

Parei de fingir e espero que não me julguem. Parei de fingir que tá tudo bem ser dona do meu nariz e fazer todas as escolhas eu mesma. Cansei. 
Não quero mais viajar sozinha. Não quero mais pedir prato pra uma pessoa só e comer no sofá. Não quero nunca mais que me apresentem um amigo que "tem tudo a ver comigo" e então descobrir que ele até que é legal, mas não bateu. 

Eu quero bater o olho e dizer "é esse!". Quero ver nos olhos dele "é essa".

Tem um DVD de auto-ajuda aí que diz que tenho de escrever o que eu quero conquistar. E eu, sempre tão incrédula, tô fazendo isso agora. E como o autor diz que tenho de descrever com detalhes, porque aí o Universo capricha, vou abrir meu coração. Pode me chamar de antiquada, de mulherzinha e o escambau. 

Lá vai: quero para sempre dormir abraçada por ele, que tem ombros largos e não faz barulho de manhã.
E é com ele que eu quero me casar, escolher o sofá, a mesa e o quadro da sala. Ir ao supermercado no sábado e à feira no domingo de manhã. Quero admirá-lo indo pro trabalho, de camisa social,recém-barbeado e dizer "bom trabalho, meu amor".

Quero transar beijando na boca, sentir a mão forte dele me segurando e ouvir daquela boca linda que me ama. Quero essa mesma boca me mordendo o pescoço e ir descendo, descendo, até onde eu gosto que ele me morda-beija com vontade.

Quero ser pedida em casamento e casar de vestidão, aquele que eu já escolhi o modelo. Quero um homem que leia um pouco antes de dormir e desligue a TV quando o clima esquentar.

Quero acordar no meio da noite e olhar pra ele certa de que estou nos seus sonhos e que sou o que ele sempre sonhou, que nem ele é pra mim.

Quero ouvir "não precisa" quando eu começar a Dieta das Proteínas e "pra quê?" quando eu cismar fazer lipo no culote. Quero telefonemas no final da tarde para saber se tá tudo bem. "Tá! Tá tudo bem, meu amor! Com você tá tudo sempre bem".

Quero um homem forte o bastante pra aguentar minhas contradições e não se assustar com minhas carências. E sensível no ponto certo para perceber que sou assim mesmo e que, de vez em quando, fico melancólica.
Quero intimidade pra caramba pra poder fazer voz de criança e distanciamento cirúrgico quando a prisão de ventre atacar. Quero privacidade no banheiro de casa e sacanagem na banheira do motel, aonde vamos de repente no meio da tarde, sem data pra comemorar. 

Quero um amor que me ame na nossa cama e me coma no sofá. Que me marque o corpo como quem diz "você é minha". Porque eu sou só dele, sempre serei.

Quero dizer na frente do Padre que vou respeitá-lo e amá-lo até o fim da nossa vida e dizer com certeza plena que nosso amor vem de outras vidas.

Quero meu nome com o sobrenome dele e um anel na mão esquerda para todos verem que eu tenho dono, que eu tenho um amor a quem sou fiel desde sempre.

Quero cafuné quando brigar com minha mãe ou fizer alguma merda no trabalho. Sexo selvagem quando beber vinho e fazer amor depois da missa.

Quero deixar bilhete no bolso dele dizendo que minha vida ficou mais bonita depois que o conheci. Quero não fazer segredo do ciuminho que eu sinto daquela ex linda que ele tem. E quero que ele diga que não preciso me preocupar: eu sou o seu grande amor.
Quero um homem com cara de homem, do jeito que eu gosto. E que, com esse jeitão de homem, faz meu tesão aumentar. Com humor ácido, combinando com meu olhar irônico.

Meu amor, Destino, tem que ser maluco beleza quando tirar o terno mas ter os pés no chão de 2a a 6a-feira. Aos sábados, usaremos chinelos. E domingo, quem é que sabe?

Vamos jantar juntos, com mesa posta e arroz integral. Quero, mais do que tudo, olhar para ele de repente e pensar "você é o homem que esperei enquanto me fingia de mulher independente". 

Quero te ligar depois da reunião e dizer você apareceu na hora certa, quando meu coração já estava prontinho pra te receber.

E então, quando minha próxima amiga disser que vai se casar, eu a abrace forte e diga de todo meu coração "seja tão feliz eu sou".