sábado, 31 de janeiro de 2015

Convite ao naufrágio

Meu coração andou revisitando o passado e descobriu que ainda sonha com um certo rapaz, muito lindinho e que jamais deixou de habitar em mim. 
Por mais louco e insano que pareça, tenho revivido emoções adormecidas que me, por vezes, me deixam confusa. Dentre os tantos convites que desejo fazer, este me parece o mais urgente: Convite ao naufrágio. Vamos, meu amor, vamos naufragar e, quem sabe, nos resgatar. Juntos. Como nunca deveria ter deixado de ser.



Traz as roupas
(poucas).

Vinho, água e mel
(muito).

Poemas e livros,
lavanda, lírios.
― da música cuido eu.

Traz velas, castiçais,
mapas rasgados,
bússola
(sem Norte).

Te espero.

Cartas náuticas sobre o corpo.
Olhos a bombordo
no cais.

Te espero.

(Karina Gercke)