sexta-feira, 16 de julho de 2010

Dois

Minha amiga, aquela que tem que se decidir entre 2 carinhas(DOIS! Gente, num mundo com tão pouco homem, ela se dá ao luxo de ter 02)me ligou ontem. Precisava conversar sobre os 02 carinhas. DOIS.
Marcamos um chopp. Depois da minha ginástica (não posso faltar às aulas. Pra mim, qualquer 50 calorias queimadas já tá de bom tamanho). Depois de 15 minutos de conversa,porém,minhas inúmeras perguntas (Que perfume você usa? Quantas vezes malha por semana? Me conta logo o segredo pra ter DOIS na sua cola, mulher!) perderam o sentido e saquei que minha querida amiga tem dois grandes problemas. Ou duas grandes piadas.
Não vou citar os nomes dos rapazes e pra ficar mais fácil de entender, vou chamá-los de Número 1 (está a fim dela. 35 anos.Advogado) e Número 2 (recém-separado.3 filhos. Sentimento por ela indefinido).
O drama da minha amiga é mais ou menos assim:
O Número 1, semana passada, estava chaaaato demais. Tava na expectativa pelo resultado de uma entrevista de emprego e não tinha outro assunto. Em plena 3a-feira à tarde, ligou pra ela dizendo que tava na maior ressaca. Ligou depois dizendo que tava com saudade e blablabla. Aí falou que "queria desabafar".
Sei que tenho minhas esquisitices, mas pô, ligar pra desabafar é foda,né? Ando muito egoísta e não tenho lá muita vocação pra me envolver com problemas dos outros. Em linhas gerais, o que eu quero dizer é que não tenho o menor saco de ter um cara ao meu lado desabafando porra nenhuma. Nota zero pra mim no quesito companheirismo.
Dias depois, o Número 1 ligou de novo, mas ela tinha saído com o Número 2 e ela não podia atender. O cara tomou chá de sumiço. Segundo ela, "sob as bençãos de Deus e do Espírito Santo".
Mas antes ele conseguiu deixá-la irritada, via MSN: "quase passei na sua casa ontem". Quando ela disse que não estava em casa porque tinha ido ao cinema, ele ficou putinho,dizendo que só com ele que ela não ia ao cinema e um monte de bobeira. Depois perguntou "e ele como vai?". Sem entender nada, ela perguntou "que ele?".Não respondeu. Depois ficou falando um monte de coisa sem sentido e minha amiga entendeu: tava bêbado. Eram 3 da tarde e o cara tava bêbado. Ele falta ao trabalho, bebe pra caramba e ainda tem necessidade de desabafar. Socorro!
Segundo ela, o "outro", o Número 2, continua lindo! Se falam todos os dias e ela jurou que não tá encanada com ele. Ou seja, tá curtindo sem maiores expectativas. Dei risada porque ela me disse que ele é um "pacote completo" (filhos, ex-mulher, ex casa)e isso mata ela de preguiça.
O cara é um fofo com ela mas nunca a convida para os programas dele. Ela é apaixonadona pelo cara. O resultado disso é que ela vive sempre na espera, parece que fica programando os convites que vai fazer ao cara. Coisas de paixonite. E quando o assunto é esse nem adianta opinar.
Eles vão se ver hoje. Amanhã é dia de roupa sem decote: o cara continua com o hábito de morder o pescoço dela. Pela carinha dela, ela também continua com o hábito de adorar.
Minha amiga está entre um alcoólatra carente e uma mandíbula gigante. Assim como você, eu também posso enumerar uma lista de motivos pra ela desistir dos dois, das duas furadas que ela levou pra vida dela. Mas você acredita mesmo que uma mulher apaixonadona ouve a razão?