domingo, 25 de outubro de 2009

FALA LOGO

Você saiu há 15 minutos daqui e eu já estou com aquela coisa de saudade que você sempre deixa em mim. E mais um dia não consegui falar o que tenho que falar pra você. Não sei se vou conseguir, mas vou me esforçar muito, pode ter certeza. Vou me esforçar tanto que vai ter que ser da próxima vez que a gente se encontrar. Vou falar que tô confusa e ainda não é hora de me envolver demais com outro cara. Talvez até invente um trauma mal curado, um amor não esquecido. Sei lá, um draminha cai bem nessa hora. A culpa não é sua, acredite. A culpa é minha e dessa mania que eu tenho de acabar logo com o que tá bom. Acabar antes que fique muito bom e eu acabe relaxando e entrando de cabeça.
Prefiro acabar assim, enquanto tá tudo superficial. Mesmo que de superficial não tenha nada. Mas eu vou continuar fingindo que é comum pra mim dormir com um cara que acabei de conhecer, que na minha vida mando eu e que não acredito mais em relacionamentos sérios.
Você não pode ser de verdade. A qualquer minuto, tenho certeza, vou descobrir uma cagada sua. Você me trata bem demais pra ser de verdade. Liga quando diz que vai ligar, me surpreende com telefonemas no meio da tarde tediosa que, por sua causa, vira uma tarde especial.
Mas eu prefiro que você se mostre logo. Mostra que só tá a fim de curtir, sem compromisso e dizer que não tá a fim de compromisso sério. Diz logo que não tá preparado para nada sério, que viveu "preso" muito tempo e que preza a liberdade. Diz logo, eu tô esperando. Eu espero sempre isso. Se não for agora, eu sei que vai ser daqui 1 semana, 1 mês. E será sem anestesia. Na lata : você é muito especial, mas...
Se você não falar, vou acabar acreditando que seu abraço é feito de carinho e desejo. Vou acreditar que você está na minha. E a gente sabe que não, você não está na minha. Você está por aí, em vários lugares. Longe de mim.