terça-feira, 11 de outubro de 2011

SOBRE CARÊNCIAS, CRÍTICAS, ELOGIOS.

Oi, Fê,

Estou melhor, não tenho outra escolha, né? Não adianta ficar putinha só porque o cara não está mais a fim de mim. Imagine se eu fosse ficar com raiva de todos os que não se interessaram por mim. Caralho! Nunca mais ia sorrir na vida. Vida besta!
Dessa vez não estou me fazendo de vítima, ou seja, não perguntei "o que eu fiz/ tenho de errado?".
Não ria, mas eu acho que o novo remédio (da depressão) está fazendo efeito. HAHAHAHAHA até eu ri dessa, mas é sério. Meu médico disse que levaria uns 6 meses para notar o efeito. Tem mais ou menos esse tempo. Tenho prestado atenção nas minhas reações e elas estão muito mais light. Exceto no trânsito, mas aí é querer muito.
Você sabe que tenho um problema sério em relação à minha auto-imagem, né? E por mais óbvio que possa parecer pra quem me conhece, só agora tenho percebido que sou muito crítica comigo mesma. Não me enxergo como as outras pessoas me enxergam. Eu vejo uma mulher gorda quando me olho no espelho. Talvez me vejam como uma gordinha, mas eu me vejo como uma obesa. Só que não adianta ninguém dizer que não: eu insisto nisso. Juro que não é teimosia, é certeza. Deve ser doença.
Semana passada estava experimentando roupas na "nossa" loja e um vestido ficou legal em mim. Aí a vendedora falou "claro,com esse corpão!" Fiquei olhando pra ela, aí ela falou : o que foi? Deu pra ver que ela ficou meio assustada com o olhar que eu dei. Na verdade, eu é que tava assustada com o comentário dela.
O vestido é aquele estampado, com a combinação vinho, que você gostou, lembra? Ela falou: dá até pra usar só a "combinação". Aliás, seu eu tivesse essas pernas, eu só ía usar a combinação". Menina, fiquei sem saber o que falar: elogios ainda me embaraçam.
No dia seguinte (essa é em primeira mão)fui ao cirurgião plástico. Foi a Ana que indicou. Falei "Dr., quero uma barriga de quem faz 3 mil abdominais por dia. Sei que vai ter que ser plástica no abdomen, mas não tem problema porque eu sei que a cicatriz fica escondida".
Enquanto me examinava ficou me olhando, olhando, apertando... E eu lá, naquela situação constrangedora só pensava "o cara deve estar fazendo a conta de quantos litros de gordura vai tirar e como vai fazer pra costurar tanta pelanca". Aí ele simplesmente falou que plástica nem pensar: não tem nem pele pra tirar. E os abdominais estão fazendo efeito, sim. Me deu até parabéns. Senti uma vontade de pedir pra ele escrever aquilo. Juro que eu ia registrar em Cartório.
Ele sugeriu que fizéssemos a lipo nas costas (onde não fiz ainda), pois é um lugar que adora acumular gordura.
Falei que pensava que a única solução fosse uma plástica. Aí ele falou "Vamos nos concentrar nas costas pra te dar mais suavidade. Você tem um corpão. Não inventa defeito". Amiga, dá pra acreditar? Em dois dias, duas pessoas falaram que tenho "corpão". Fiquei pensando e acho que eles não têm motivos pra falar isso do nada, por invenção. Principalmente o médico, né? A plástica é o dobro do preço da lipo.
Bem, falei tudo isso pra dizer que tenho prestado atenção em mim, nas minhas reações, respostas... Tenho sido muito crítica comigo mesma. Acho que enquanto eu não tratar bem de mim mesma, não vai adiantar eu estar com ninguém ao meu lado: porque ninguém vai me tratar do jeito que só eu posso fazer. Enquanto eu mesma não me der carinho, vou continuar vendo coisas onde não existe nada, ou seja, qualquer gesto um pouco mais carinhoso de um cara (como foi o caso do rapazinho lá, que sempre me tratou super bem) eu já enxergo como uma declaração de amor. O nome disso é carência. E carência interna, que só pode ser abrandada por mim mesma.
PS: em vez de fazer a lipo, marquei hora com um terapeuta.

Beijos da sua amiga de sempre,