quarta-feira, 2 de novembro de 2011

VESTIR-SE DE ALTO ASTRAL

 Por mais que a gente queira se destacar, ser única, diferente, enfim, a grande verdade é que mulher é tudo igual. Que bom.
 Meu último texto foi sobre como ando meio pra baixo, desanimada (aproveito para beijar carinhosamente quem deixou recadinho de "força, Aline". Vocẽs são demais!). Tudo bem que os problemas não podem ser resolvidos assim, de uma hora para outra, mas na maioria das vezes dá pra gente dar uma amenizada. E nada melhor do que umas "comprinhas" para levantar o astral.
 Conheci uma loja, a Adelaide & Dagmar, que é uma fofura e com roupas que são a minha cara (mesmo que você não more aqui em Paraty, vale a visita ao site pois tem lojinha virtual). Comprei "umas coisinhas" que me fizeram me sentir linda. E nada melhor do que se sentir linda para ficar bem humorada, né? 
 Claro que sair por aí gastando não faz ninguém mais feliz e nem resolve os problemas. Mas quem é que não tem problema? 
 Outra coisa que me faz feliz é ler, seja um bom livro, uma revista ou uma poesia. E esta que reproduzi abaixo tem tudo a ver com o assunto.


 

A palavra é uma roupa que a gente veste.
Uns usam palavras curtas.
Outros usam roupa em excesso.
Existem os que jogam palavra fora.
Pior são os que usam em desalinho.

Uns usam palavras caras.
Poucos ostentam palavras raras.
Tem quem nunca troca.
Tem quem usa a dos outros.

A maioria não sabe o que veste.
Alguns sabem mas fingem que não.
E tem quem nunca
usa a roupa certa para a ocasião.

Tem os que se ajeitam bem
com poucas peças.
Outros se enrolam
em um vocabulário de muitas .
Tem gente que estraga tudo que usa.

E você, com quais palavras se veste?
Com quais palavras você se despe?

( A palavra é uma roupa /Viviane Mosé)