sexta-feira, 21 de setembro de 2012

NOITES (E DIAS) DE LUA



Eu queria escrever uma estória na qual eu tivesse poderes mágicos, que nem super-herói ou fada madrinha. Nessa estória você não teria dor nenhuma, nunca. Nem eu.
Nem ninguém nunca iria embora da minha vida. E meu coração ia ser imenso, sem buracos, pra caber todo mundo que eu amo, sem precisar escolher.
Hoje à noite teria uma festa linda. A gente ia dançar as músicas mais bonitas do mundo e só ia parar para ver a Lua. Depois a gente continuava nossa dança. Dançava até desmaiar, de prazer, de alegria. Porque nesta noite, ah! nesta noite não haveria nem dor e nem sofrimento. E muito menos culpa. E a noite ia durar muitos e muitos dias.
Mas eu não tenho poderes mágicos e nem tudo é do jeito que queria que fosse: Nem toda noite tem lua, nem toda música é feita pra dançar...
Vai e leva uma flor amarela no bolso e olhe à noite para o céu, pra de vez em quando você se lembrar de mim.

4 comentários:

  1. que lindo, isso é quase um poema. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Aline
    Hoje vai acontecer o fenomemo de duas luas. Será que vou ver?
    Voce escreveu hoje DEMAIS!
    Será que um dia vou ler com mais calma os seus escritros na minha mão?
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  3. Belissima.....uma poesia...parabens...te descobri, virei tua fã....bjs,,,Lynete

    ResponderExcluir

Gostou? Comenta aí!