sexta-feira, 21 de setembro de 2012

NOITES (E DIAS) DE LUA



Eu queria escrever uma estória na qual eu tivesse poderes mágicos, que nem super-herói ou fada madrinha. Nessa estória você não teria dor nenhuma, nunca. Nem eu.
Nem ninguém nunca iria embora da minha vida. E meu coração ia ser imenso, sem buracos, pra caber todo mundo que eu amo, sem precisar escolher.
Hoje à noite teria uma festa linda. A gente ia dançar as músicas mais bonitas do mundo e só ia parar para ver a Lua. Depois a gente continuava nossa dança. Dançava até desmaiar, de prazer, de alegria. Porque nesta noite, ah! nesta noite não haveria nem dor e nem sofrimento. E muito menos culpa. E a noite ia durar muitos e muitos dias.
Mas eu não tenho poderes mágicos e nem tudo é do jeito que queria que fosse: Nem toda noite tem lua, nem toda música é feita pra dançar...
Vai e leva uma flor amarela no bolso e olhe à noite para o céu, pra de vez em quando você se lembrar de mim.