domingo, 8 de fevereiro de 2015

Para você, que me tira do eixo, somente um poeta que me desestabiliza

Eu amo-te sem saber como, 
ou quando, ou a partir de onde.
Eu simplesmente amo-te, 
sem problemas ou orgulho:
amo-te desta maneira porque não conheço
qualquer outra forma de amar sem ser esta, 
onde não existe eu ou tu, 
Tão intimamente 
que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão,
tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.

Pablo Neruda