quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

AO MEU TIO BETINHO.



A Luciana me pediu para falar sobre o Tio Betinho. Pensei em algumas coisas para dizer aqui. Mas hoje estamos aqui somente entre amigos, portanto, não há nada de novo, nenhuma novidade: todos os conhecem. Por isso, resolvi falar PARA ele:

Tio, você realmente é um cara "do contra", ? Passou a vida aqui na Terra sendo apressado - quem nunca o ouviu chamar 'Iyone, vamos. Iyone!' ?

E logo na hora de partir você não teve pressa. Ao contrário, você escolheu partir lenta e gradualmente. Foram vinte e poucos dias de grande angústia, muita ansiedade e lágrimas, muitas delas.


Por outro lado, nestes dias vocês nos proporcionou a oportunidade de nos despedir. Você nos proporcionou a oportunidade - veja que contraditório! - de refletir sobre a vida. 
Sobretudo, meu Tio, você nos proporcionou a oportunidade de praticarmos o desapego. Desapego da matéria, do corpo material.

Hoje estamos tristes, mas certamente temos mais consciência de que estamos apenas de passagem por este mundo, temos certeza de que este corpo que hoje velamos é apenas um instrumento. Você não é - e isso nos consola - este corpo: você é muito mais! Você é a lembrança que vamos levar para sempre.

Você é o menino que saiu cedo de Paraty, mas que nunca deixou Paraty sair de você. Você é o amigo do Charlinhos, do Caiquinho e de tantos outros. Você é o irmão da Tia Hélcia, do Tio Claudinho, do meu paizinho (que, por razões emocionais, não pôde vir). Você é o pai da Luciana, da Juliana e o maridão da Tia Iyone. Você é o paulistano mais Rubro-Negro que eu jamais conheci!

Ontem, Paraty foi dormir mais triste porque perdeu o cara solidário, que dava apoio a todo conhecido que aqui em São Paulo estivesse. E hoje, apesar de toda tristeza, temos dois grandes motivos para agradecer a Deus: 
O 1o. é pela oportunidade de termos convivido com você. Ser da sua família (e isso a Tia Hélcia, o Tio Claudinho, meu paizinho, a Juju, a Lu e a Tia, eu tenho certeza, concordam comigo) é um privilégio. O 2o motivo é por Deus ter dado fim ao seu sofrimento, o sofrimento do seu corpo material. Você é muito mais do que este corpo, lembra?

Então, meu Tio, vai com Deus. Vai ser eterno no Infinito.

QUALQUER DIA, AMIGO, A GENTE VAI SE ENCONTRAR.