quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Alguém chama o Capitão Nascimento aí, por favor!


Semana passada estava me sentindo meio triste, carente, essas coisas. Então fui fazer o que há de melhor nesses momentos: compras.
Entrei numa loja aqui no Rio Sul e, por milagre, várias peças ficaram lindas em mim.
Quando fui pagar, optei por cheque (para 30 dias é claro!). E então o terror tomou conta de mim: meu cheque foi recusado por causa de uma restrição no meu cpf. Céus! Quase morri de ódio. Segundo a mocinha do caixa, eu devia à Embratel R$37,00. Achei um abuso, afinal, não sou mulher de dever uma mixaria dessas. Adeus, vestido longo preto! Bye bye short jeans! See you, tops e cintos...
Comecei, então, uma procura desenfreada pela solução: pagaria aqueles insultantes R$37,00 que eu sabia que não era dívida minha pois era a única forma de limpar meu nome.
Senti uma imensa vontade de entrar na justiça e tentar receber uma graninha extra alegando que meu nome fora parar no SPC por engano. Eu tinha certeza de que era engano.
Tomei as medidas cabíveis e só me restava esperar 15 dias para a Empresa se pronunciar. Depois disso era só reclamar no antigo tribunal de pequenas causas e esperar.
Como tudo na vida, quanto mais a gente corre atrás, menos encontra solução. É igual quando a gente procura um sapato, por exemplo. Revira a casa toda e nada de encontrar. Aí, dias se passam e quando você está procurando os óculos, por algum mistério do Universo, você encontra os sapatos procurados até a exaustão. Algo tão real como as leis da física ou de Murphy. Pois bem, há dias pedi o cancelamento da Sky para assinar a Net. Hoje recebi um e-mail da net dizendo que meu pedido fora recusado. Liguei pra lá para saber o motivo. Será que eles não foram com minha cara? Seria uma justificatifa plausível, afinal, eu e umas amigas estamos com umas nuvenzinhas negras sobre nossas cabeças e ontem cogitamos a hipótese de visitar um terreiro, tomar ''um banho de pipoca" ou algo do gênero.
Para minha grata surpresa, a recusa em me aceitar como assinante não era nada pessoal. Para meu alto grau de fúria, o problema era financeiro. Aqui é preciso voltar ao passado, a título de explicação:
mais ou menos em 99, a Net cancelou a assinatura do ''falecido'' por (adivinhe!) inadimplência. Em vez de acertar as contas, ele escolheu o caminho mais curto, ou seja, deu "um jeitinho": pediu para eu ser a titular da assinatura.
A única pessoa para quem eu faço esse tipo de favor é a minha irmã, porque aquela lá é a pessoa mais correta do mundo. Já houve época que o meu cartão de crédito ficava com ela (o cartão é de chip e não é preciso assinar, basta digitar a senha). Foi uma das poucas épocas na vida que meu limite de crédito não estourou. Enfim, é uma pena que não escolhi um namorado com um perfil parecido com o da minha irmã.
Pois bem, não posso me fazer de inocente e dizer que eu não sabia que ele era assim, pois na época que dei meu precioso CPF para fazer a assinatura da Net na casa dele eu já o conhecia havia mais de 1 ano e sabia bem como a coisa funcionava.
Pela mistura dos assuntos, já deu para perceber que meu problema com cpf tem relação com a burrice que foi deixar uma outra criatura ter em sua casa uma conta em meu nome, correto?
Pois bem, foi isso mesmo : há uma conta de R$512,00 em aberto desde 09/2006. Em meu nome. Chupa essa manga!
Tomei um Rivotril e mandei o e-mail abaixo pra ele. Se o mundo fosse do jeito que eu gostaria que fosse, em vez de e-mail, eu mandaria um matador até ele. Mas não ia querer o serviço muito rápido,não. Pediria para haver tortura antes. Sabe como é, choque elétrico no saco, alicate embaixo das unhas... essas coisinhas à la Capitão Nascimento. Mas o mundo é um lugar civilizado e meu diploma ainda não foi emitido... sei lá, tenho medo de não ter direiro à cela especial. Por isso, achei melhor um e-mail curto e grosso:

Falecido,

meu cpf está com restrições por causa de uma dívida com a Embratel (R$75,06, ref. aos meses 09 e 10/2007).
No início do ano tive problema semelhante na hora de alugar o apto: tive duas fichas recusadas por causa dessas restrições.
Estou desde então tentando resolver o que acreditava ser um mal entendido, afinal, nunca fui cliente Embratel.
Depois de muito aborrecimento, consegui saber do que se tratava. Também descobri que "devo" à Net: R$437,00.
Acabei de saber que a assinatura era aquela da sua antiga casa. Desnecessário falar sobre como estou aborrecida.
Até o final do dia vou receber o boleto para pagamento.
O que você prefere: mando o boleto pra você ou vc deposita a grana na minha conta?

Aline